Imprimir

comunicado en portugués e italiano Por la justicia  para Cesare Batistti preso político
 
Davide Steccanella falou a verdade ao dizer que fez todo o possível pela minha transferência e não sabe o que mais fazer. Caberia, de todo modo, os recursos ao TAR (Tribunal Administrativo Regional) assim como sugere o magistrado de Cosenza. Durante os acontecimentos da França as
autoridades italianas prometeram tratamento humano e nenhuma vingança aos extraditados. Este é o momento de mostrar ao mundo que isso é mentira. O que realmente devem esperar os refugiados na França chegando na Itália, é o contrário. Por isso, no dia 2 de Junho comunicarei as autoridades o início da minha greve de fome. Dito isso, sem tentativas de me convencer do contrário, peço que esse ato seja divulgado especialmente na França, onde estão os outros que esperam a extradição. Esse é o momento e essa é minha intenção&&&Agradeço à todos pelo apoio e colaboração.

Cesare Battisti, 26/05/21

Apelo à justiça

No seguimento da instância de rejeição da transferência n. 52822, sou eu voltar para membros da família, o advogado de defesa, as autoridades competentes e a todos aqueles que fizeram até agora integrante para que ele me garantiu um regime de encarceramento decente.

A instância de transferência L ' de C asa de Reclusione de Rossano foi rejeitada , em essência, pelos seguintes motivos:

    a) a atribuição no AS 2 foi reservada ao sujeito por motivos de segurança em função do tipo de crime
    b) a atribuição em AS 2 não " impede " o tratamento normal ; a ausência do artigo 4 bis ( impedimento ) não impede a atribuição a A S2
    c) AS2 não " previne " um processo de tratamento, visando a reeducação e reintegração do agressor.

Além de não levar em conta o grande desconforto devido à excessiva distância que separa o condenado de seus entes queridos, os motivos da rejeição são enganosos. A obstinação do DAP ( Departamento de Administração Penitenciária ) em considerar o abaixo-assinado um sujeito perigoso, 4 2 anos após os fatos e sem apresentar novos elementos contra ele, não se confirma em juízo. De fato, o promotor antiterrorismo de Milão, Dr. Alberto Nobili, declarou publicamente que "Cesare Battisti não representa ou mais hoje ù nenhum perigo para a sociedade ". O DAP s t que teria, em seguida, tratar um Dov caso e não tem mais caráter-recuperado, conforme exigido pela Constituição exclusivamente sanções .

Passei 40 anos no exílio, levando uma vida de contribuintes individuais, atividade profissional totalmente integrado sociedade civil preço incessante, p acifico envolvimento cultural na iniciativa e trabalho voluntário, onde quer que fosse me ofereceu abrigo. Também recebendo aclamação internacional.

Suporte, como estabelecido no equipamento de transferência de ect, que o departamento AS 2 da C asa de R eclusione de Rossano tanto lugar decentemente agir para cumprir os ditados previsto em conexão com ' S rdinamento P enitenziario, em o C SUBSTITUIR e nos quartos I NTERNATIONAL, é arriscado para dizer o mínimo. O departamento AS 2 de Rossano é um túmulo, como todos sabem. Nada entra aqui e ninguém sai por qualquer motivo , a não ser para chegar à sala de videochamada semanalmente. Este é o único departamento para R oxano , telha, mesmo desprovido e banheiros decentes ; d onde nenhum assistente social m ette pé. A famosa porta " caverna I SIS " é tabu até para o capelão , que até agora tem ignorado meus pedidos de entrevista regularmente .

Aqui, ao contrário do que afirma o DAP, não existe uma atividade comum que vise a reinserção social ou uma verdadeira reeducação. Tudo aqui é projetado para manter fora d e muçulmanos fervorosos, que, se bem em condições execráveis, foi concedido o direito de rezar juntos. Só para dar um exemplo, o passeio deste AS 2 não passa de uma cena p iccionaia , onde raramente penetra um raio de sol; enquanto tudo o mais está caindo em ruínas.

Além das faltas endêmicas g ERAL, o DAP parece ignorar que nada nesta categoria é projetado para os presos que não compartilham os costumes e da tradição

muçulmana; ou que tenham vivas incompatibilidades de convivência com essa categoria de presidiários.

Em vez disso, seria vital levar isso em consideração. Th ac ch é apenas no meu caso, apenas prisioneiro aqui não relacionado ao " terrorismo islâmico " , c iò significava um isolamento total de mais de 27 meses , dos quais os últimos 8 segundos nunca seriam expostos à luz solar direta.

Se o ignorar deliberadamente, o DAP parece interpretar de forma única o acórdão do Tribunal de Recurso de Assizes de Milão , confirmado ao Supremo Tribunal, em novembro de 2019, l ao qual afirma que o abaixo assinado deve cumprir a pena em prisão regime ordinário. Em qualquer caso , o parto rei AS 2 de Rossano poderia garantir um tratamento normal, giacch se esta não é a sua função.

Eu tinha depositado sua esperança nesta última instância de transferência, imaginando que, depois de mais de dois anos em condições extremas, as autoridades in fie rissero bem, mesmo considerando a idade é o estado precário de saúde. Mas também e acima de tudo por ter mostrado grande vontade de se reconciliar com os setores da sociedade que mais sofreram as consequências da luta armada dos anos 1970 , com particular referência aos familiares de todas as vítimas.

As coisas nunca são o que parecem ser de acordo com a mídia. A recente questão dos refugiados na França é uma farsa. Assim como é real a intenção do Estado de negar-me os direitos estabelecidos para o fim. A Itália mentiu, garantindo tratamento humano e leniência. A melhor prova é ver as condições da prisão de Battisti. O que os refugiados da França que chegam à Itália realmente deveriam esperar é o contrário.

Lamento ter de trazer outra dor a todos os que me conviveram até agora , tendo que lhes anunciar que, no final do dia, a partir de 2 de junho , entrarei em greve de fome e terapia . Com a esperança de que a justiça abra uma brecha no muro dos condenados e que também Cesare Battisti tenha o direito à integridade pessoal que todo condenado deve ter garantido. Peço apenas que o DAP aplique as disposições do Tribunal de Assizes de Milão .

Cesare Battisti

Appello alla giustizia

In seguito al rigetto dell'istanza di trasferimento n. 52822, mi rivolgo ai familiari, ai legali difensori, alle istanze competenti e a tutti coloro i quali si sono fin qui solidarizzati affinché mi fosse garantito un regime di carcerazione dignitoso.

L'istanza di trasferimento dalla Casa di Reclusione di Rossano è stata rigettata, In sostanza, con le seguenti motivazioni:

    a) l'assegnazione in AS2 è stata riservata al soggetto per ragioni di sicurezza dovute alla tipologia di reato
    b) l'assegnazione in AS2 non "impedisce" un trattamento ordinario; l'assenza dell'articolo 4 bis (ostativo) non impedisce l'assegnazione alla AS2
    c) l'AS2 non "impedisce" un percorso trattamentale, teso alla rieducazione e al reinserimento del condannato.


Oltre a non tenere conto del grande disagio dovuto all'eccessiva distanza che separa il condannato dai suoi affetti, le motivazioni del rigetto risultano ingannevoli. L'ostinazione del DAP (Dipartimento Amministrazione Penitenziaria) nel considerare il sottoscritto soggetto pericoloso, 42 anni dopo i fatti e senza apportare nessun elemento nuovo a carico, non trova riscontro in sede giudiziaria. Anzi, il procuratore dell'antiterrorismo di Milano, dottor Alberto Nobili, ebbe a dichiarare pubblicamente che " Cesare Battisti non rappresenta oggi più alcun pericolo per la società". Il DAP starebbe quindi trattando un caso dove la pena non ha più carattere recuperatorio, come prevede la Costituzione, esclusivamente sanzionatorio.

Ho trascorso 40 anni in esilio conducendo una vita di cittadino contribuente, perfettamente integrato alla società civile prezzo l'incessante attività professionale, il pacifico coinvolgimento nell'iniziativa culturale e nel volontariato, ovunque mi fosse stato offerto rifugio. Ricevendo anche encomi di portata internazionale.

Sostenere, come figura nel rigetto di trasferimento, che il reparto AS2 della Casa di Reclusione di Rossano sia luogo decentemente atto ad assolvere i dettati previsti nell'Ordinamento Penitenziario, nella Costituzione e nelle Istanze Internazionali, è a dir poco azzardato. Il reparto AS2 di Rossano è una tomba, lo sanno tutti. Qui non entra ne esce niente e nessuno per alcun motivo, che non sia quello di raggiungere settimanalmente la sala delle videochiamate. Questo è l'unico reparto a Rossano, sprovvisto perfino delle mattonelle e di servizi igienici decenti; dove nessun operatore sociale mette piede. Il famigerato portone "antro ISIS" è tabù perfino per il Cappellano, il quale ha finora regolarmente ignorato le mie richieste di colloquio.

Qui, al contrario di quanto afferma il DAP, non esiste nessuna attività in comune tesa al reinserimento sociale o a una reale rieducazione. Qui tutto è predisposto per tenere a bada dei ferventi musulmani, ai quali, se pure in condizioni esecrabili, è stato concesso il diritto di pregare insieme. Tanto per fare un esempio, il passeggio di questo AS2 non

è più di una oscena piccionaia, dove raramente penetra un raggio di sole; mentre tutto il resto versa nella fatiscenza.

Oltre alle endemiche carenze generali, il DAP pare ignorare che in questo reparto nulla è predisposto per i detenuti che non condividono i costumi e la tradizione musulmana; oppure che abbiano vivaci incompatibilità di convivenza con questa categoria di detenuti.

Sarebbe invece di vitale importanza tenerne conto. Giacché, proprio nel mio caso, unico detenuto qui non legato al "terrorismo islamico", ciò ha significato un isolamento totale di oltre 27 mesi, dei quali gli ultimi 8 senza mai esporsi alla luce solare diretta.

Se non la ignora deliberatamente, il DAP sembra interpretare in modo singolare la sentenza della Corte d'Assise d'Appello di Milano, confermata in Cassazione, nel novembre 2019, la quale stabilisce che il sottoscritto deve scontare la pena in un carcere con regime ordinario. In nessun caso, il reparto AS2 di Rossano potrebbe garantire un trattamento ordinario, giacché non è questa la sua funzione.

Avevo riposto la speranza in quest'ultima istanza di trasferimento, immaginando che, dopo oltre due anni in condizioni estreme, le autorità non infierissero oltre, considerata anche l'età è il precario stato di salute. Ma anche e soprattutto per aver mostrato grande disponibilità alla riconciliazione con quei settori della società che più hanno sofferto le conseguenze della lotta armata degli anni 70, con particolare riferimento alle famiglie di tutte le vittime.

Le cose non sono mai quelle che sembrano essere secondo i media. La questione rifugiati in Francia recente è una farsa. Così come è reale l'intenzione dello Stato di negarmi i diritti stabiliti fino alla fine. L'Italia ha mentito garantendo trattamento umano e clemenza. Quale migliore prova vedere le condizioni della prigionia di Battisti. Cosa dovrebbero aspettarsi veramente i rifugiati che dalla Francia arrivano in Italia, è l'opposto.

Sono dispiaciuto di dover recare un altro dolore a tutti coloro che mi sono stati vicini finora, dovendo loro annunciare che, allo stremo, dal 2 giugno ricorrerò allo sciopero della fame e della terapia. Con la speranza che la giustizia apra una breccia nel muro dei dannati, e che anche Cesare Battisti abbia diritto a un trattamento umano che dovrebbe essere garantita ogni condannato. Chiedo solo che il DAP applichi quanto stabilito dalla Corte di Assise di Milano.

Cesare Battisti

Categoría: Análisis
Visto: 96